Matérias
Brasil

Luciano Hang é condenado em R$ 85 milhões por coagir funcionários a votarem em Bolsonaro

O empresário afirmou que seguirá recorrendo, mantendo a confiança na justiça brasileira

Escrito por
Thiago Freire
January 31, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, foi condenado pelo juiz Carlos Alberto Pereira de Castro, da 7ª Vara do Trabalho de Florianópolis, ao pagamento de R$ 85 milhões por coagir empregados a votar em Jair Bolsonaro nas eleições de 2018. A decisão, proveniente de uma ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), alega que Hang realizou campanha política nas lojas da Havan com participação obrigatória dos funcionários.

O MPT argumentou que Hang ameaçou demitir e fechar lojas se o candidato do PT, Fernando Haddad, fosse eleito presidente. Além disso, os empregados teriam sido constrangidos a responder enquetes sobre em quem votariam. A decisão inclui o pagamento de R$ 500 mil para cada loja em funcionamento à época, R$ 1 milhão por danos morais coletivos, e R$ 1 mil para cada funcionário vinculado à Havan em outubro de 2018.

O juiz Carlos Alberto Pereira de Castro afirmou que Hang reeditou o antigo "voto de cabestro", impondo sua escolha política aos funcionários. Ele destaca que o empresário colocou em xeque a continuidade dos contratos de trabalho caso houvesse resultado desfavorável ao seu candidato.

Luciano Hang classificou a condenação como "descabida e ideológica", chamando-a de "total absurdo". Ele alega que as perícias realizadas à época não comprovaram irregularidades e que a decisão do juiz foi baseada em sua própria ideologia. O empresário afirmou que seguirá recorrendo, mantendo a confiança na justiça brasileira.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas