Matérias
Mundo

Governo peruano cede e mantém pública a gestão de acesso a Machu Picchu

Nos últimos dias, os protestos bloquearam trilhos ferroviários e levaram à suspensão dos trens

Escrito por
Thiago Freire
February 01, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

Após cinco dias de protestos em Machu Picchu contra a privatização da venda de ingressos para o parque, a ministra peruana da Cultura, Leslie Urteaga, anunciou um acordo que põe fim às mobilizações. A medida, negociada com o governador de Cusco e os prefeitos locais, estabelece que os ingressos serão vendidos em uma plataforma administrada pelo governo regional e pela presidência do conselho de ministros.

A ministra Urteaga esclareceu que o contrato com a empresa privada Joinnus será concluído, mas a gestão da venda dos bilhetes será posteriormente transferida para uma plataforma pública. O acordo surge após os líderes dos protestos anunciarem uma trégua de 24h para negociar com o governo.

Nos últimos dias, os protestos bloquearam trilhos ferroviários e levaram à suspensão dos trens. A polícia reprimiu os manifestantes, e o turismo na região foi impactado, com evacuação de turistas retidos no sítio histórico. Diante disso, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil orientou brasileiros a evitarem Machu Picchu devido aos protestos e à greve, alertando sobre a interrupção do transporte ferroviário para Aguas Calientes, principal acesso ao Santuário Histórico. Ainda não há previsão de restauração desse serviço.

No items found.