Matérias
Mundo

Gira Mundo: confira as principais notícias internacionais nesta segunda-feira

Nikki Haley vence primária em Washington DC; Kim Jong Un anuncia política de desenvolvimento industrial na Coreia do Norte; e mais

Escrito por
Thiago Freire
March 04, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Foto: Vecteezy

Nikki Haley vence primária republicana em Washington DC, mas Trump lidera nacionalmente

Nikki Haley obteve sua primeira vitória nas primárias republicanas, ao derrotar Donald Trump em Washington DC. A ex-embaixadora dos Estados Unidos na ONU se tornou a primeira mulher a ganhar uma primária republicana na história do país.

Leia Também

Entretanto, Trump mantém uma grande vantagem sobre Haley em nível nacional e é provável que enfrente Joe Biden nas eleições de novembro. Haley receberá os 19 delegados republicanos em disputa em Washington, totalizando 43 delegados nacionalmente, bem atrás dos 247 de Trump.

A vitória dela é vista como simbólica, uma vez que a capital dos Estados Unidos é uma jurisdição com forte tendência democrata, com apenas cerca de 23 mil republicanos registrados na cidade.

A campanha de Trump rejeitou rapidamente a vitória de Haley, chamando-a de "rainha do pântano". Trump dominou todas as primárias estaduais até agora e está pronto para ganhar mais delegados na Super Terça-Feira, quando os eleitores de 15 estados e um território dos EUA nomearão seu candidato.

Kim Jong Un anuncia política de desenvolvimento industrial na Coreia do Norte

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, anunciou que o governo iniciará a construção de fábricas nas regiões rurais do país com o objetivo de implementar uma "revolução industrial" em âmbito nacional. A iniciativa prevê a revitalização da economia local na chamada "Política de Desenvolvimento Regional 20x10", que simboliza a construção de instalações industriais de última geração em pelo menos 20 condados, anualmente, durante uma década.

Kim fez o anúncio durante a cerimônia de inauguração da primeira fábrica moderna, instalada no condado de Songchon, no leste de Pyongyang. Segundo a KCNA, agência de notícias norte-coreana, o líder afirmou que o sucesso na concretização da Política 20×10 já foi determinado e que as novas políticas do governo estão sendo apoiadas ativamente pelo Partido dos Trabalhadores e pela população. O governo já está preparado para a construção de dezenas de fábricas industriais locais até o final do ano.

França inaugura Vila Olímpica de Saint-Denis para os Jogos de Paris 2024

A cinco meses dos Jogos Olímpicos de Paris 2024, o presidente francês, Emmanuel Macron, inaugurou a Vila Olímpica de Saint-Denis, no subúrbio norte da capital. O local deverá receber 14.500 atletas durante os Jogos Olímpicos.

Construído em sete anos, o projeto reúne 82 edifícios, com 3.000 apartamentos e 7.200 quartos, erguidos numa antiga área industrial entre as cidades de Saint-Denis, a ilha de Saint-Denis e Saint-Ouen.

Macron elogiou o trabalho realizado para receber os melhores esportistas do mundo na França e destacou a qualidade dos materiais utilizados e a concepção da Vila Olímpica. Parte dos edifícios é recoberta por placas de cerâmica instaladas manualmente, uma a uma. Equipamentos de purificação de ar e reciclagem de águas usadas também foram apresentados como vantagens do projeto, que se preocupa com os desafios climáticos.

A Vila visa proporcionar um ambiente acolhedor e propício à concentração dos atletas durante os jogos.

Conflito em Gaza: centenas de palestinos mortos durante distribuição de ajuda humanitária

A distribuição de ajuda humanitária na Faixa de Gaza resultou na morte de centenas de palestinos, incluindo pessoas em busca de alimentos. Segundo o grupo político islâmico Hamas, pelo menos 104 pessoas foram mortas por forças israelenses e 760 ficaram feridas enquanto esperavam em uma fila por alimentos na Cidade de Gaza.

Testemunhas e os serviços de saúde de Gaza relataram que soldados israelenses abriram fogo contra a multidão que se aglomerava em torno dos caminhões de ajuda humanitária. O Exército de Israel alegou que os palestinos "cercaram" e "saquearam" os caminhões de ajuda, colocando as tropas em risco.

A situação complicou ainda mais as negociações entre Hamas e Israel para um cessar-fogo temporário, com o Hamas culpando Israel pela violência. O governo dos Estados Unidos definiu o episódio como um "incidente grave" e lamentou a "perda de vidas humanas inocentes" em Gaza.

Putin rejeita envio de tropas ocidentais à Ucrânia

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, respondeu à hipótese francesa de envio de tropas ocidentais à Ucrânia em seu discurso anual ao Parlamento do país, afirmando que o plano cogitado pelo Ocidente "levaria à ameaça de um conflito com armas nucleares e, portanto, à aniquilação da civilização".

Putin rejeitou veementemente a ideia, lembrando o destino de países que enviaram tropas à Rússia no passado e alertando para as consequências trágicas que poderiam ocorrer caso o envio se concretizasse. O líder russo acusou os países ocidentais de tentarem "arrastar" a Rússia para uma "corrida armamentista", comparando a situação à tensão vivida durante a Guerra Fria.

França avança em inclusão do direito ao aborto na Constituição

O Senado francês aprovou um texto que inclui o direito ao aborto na Constituição, garantindo a "liberdade garantida" de acesso ao procedimento para as mulheres. O presidente Emmanuel Macron convocou imediatamente o Congresso para incluir o aborto na Constituição, sendo necessária uma maioria de três quintos dos votos dos parlamentares para que a reforma seja adotada.

A interrupção voluntária da gravidez já é garantida por lei na França desde 1975, mas a inclusão na Constituição visa proteger esse direito de possíveis revisões futuras. A decisão foi elogiada por defensores dos direitos das mulheres, que destacaram a importância histórica da medida para a garantia da autonomia feminina sobre seus corpos.

Presidente da Bolívia denuncia ingerência de potências ocidentais na América Latina

O presidente da Bolívia, Luis Arce, declarou que potências ocidentais têm buscado interferir em assuntos políticos na América Latina e no Caribe por interesses em recursos naturais, como lítio, gás e petróleo. A declaração foi feita durante a 8ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac), realizada em Kingstown, capital de São Vicente e Granadinas.

Arce afirmou que a ingerência de países estrangeiros na região está relacionada aos recursos naturais dos países latino-americanos, destacando o litígio entre Venezuela e Guiana como exemplo de interesse externo. Ele alertou para o fato de que essas ações buscam se apropriar dos recursos da região, prejudicando a soberania dos países latino-americanos.

A declaração de Arce reflete preocupações comuns entre líderes latino-americanos sobre a interferência externa nos assuntos da região, que muitas vezes é vista como uma forma de neocolonialismo. O presidente boliviano reforçou a importância da união dos países da América Latina e do Caribe para proteger seus interesses e garantir sua autodeterminação.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas