Matérias
Esporte

Dança das cadeiras no futebol amazonense

A bem da verdade é que mudança técnica às vezes tem muito mais relação com falta de postura no planejamento das diretorias.

Escrito por
Larissa Balieiro
February 12, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

Nos últimos dias, o futebol amazonense se agitou ainda mais por conta da proximidade das finais do estadual e naturalmente as cobranças para os bons e efetivos resultados. O saldo destes últimos acontecimentos acontece com a queda inicial do técnico Dico Woolley ainda na 2ª rodada do Barezão e o recente anúncio de retorno do técnico Alan George ao comando do Manauara.

Aqui, o principal recado dado é quanto à necessidade de reorganizar a casa. Allan George esteve no Robô em 2021 na série B e após dois jogos foi mandado embora mesmo com 100% de aproveitamento. Naquela ocasião, os bastidores revelaram que a saída dele se deu por conta de divergência com a diretoria do clube. O manauara foi eliminado nas quartas de final do campeonato estadual com o técnico interino Hugo Chacon.

Leia Também
Arte Manauara

Outro eliminado que demitiu técnico foi o Manaus. Aderbal Lana não comanda mais o elenco do Gavião, o que pegou muita gente de surpresa porque a chegada do treinador era vista como uma esperança de dias melhores para o clube após o rebaixamento para a série D em 2023. Ele sai do time após um primeiro turno com cinco jogos e duas derrotas: para o RPE Parintins e Nacional. Ainda assim, o recado que a diretoria mostra é que precisava da mudança de novo, resta saber se o problema segue sendo o técnico ou a montagem do elenco.

Abem da verdade é que mudança técnica às vezes tem muito mais relação com falta de postura no planejamento das diretorias. Manauara e Manaus vão repensar o segundo turno, mas se repetirem as mesmas atitudes, vão adormecer nos mesmos problemas. E será um ciclo sem fim!

Imagem capa: João Normando / Agência Esportiva LB

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas