Matérias
Brasil

Alexandre de Moraes inclui Elon Musk como investigado em inquérito sobre milícias digitais

Decisão também determina que rede social X se abstenha de desobedecer ordens judiciais do STF e TSE

Escrito por
Redação
April 08, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria
Foto: Igo Estrela/Metrópoles, Trevor Cokley/U.S. Department of Defense/Edição Metrópoles

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou na noite de domingo (7) a inclusão do empresário Elon Musk, dono da rede social X (antigo Twitter), como investigado no inquérito que apura a existência de milícias digitais antidemocráticas e seu financiamento.

Leia Também

Moraes também decidiu que a rede social X deve abster-se de desobedecer qualquer ordem judicial já proferida pelo STF ou pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A medida se justifica, segundo Moraes, pela "dolosa instrumentalização criminosa" da rede, em conexão com os fatos investigados nos inquéritos das fake news e dos atos antidemocráticos.

Elon Musk fez uma série de posts ao longo deste fim de semana relacionados ao Brasil, afirmando que estava "levantando restrições" impostas por decisão judicial de sua rede. Ele também defendeu que Moraes deveria renunciar ou sofrer impeachment. Até o momento, não há indicação de que o X tenha descumprido alguma ordem.

O episódio inflamou a base bolsonarista nas redes sociais. Sem fazer referência às declarações de Musk ou a Moraes, o ex-presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo de um evento de 2022 em que está ao lado do empresário, chamando-o de "o mito da nossa liberdade".

No sábado (6), Bolsonaro divulgou a convocação para um ato no Rio de Janeiro no dia 21 de abril, dando continuidade a um evento que aconteceu em São Paulo, em 25 de fevereiro.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas