Matérias
Saúde e Bem Estar

Sem salários, empresas de saúde decretam redução de serviços no AM

Com valores atrasados desde 2021, serviços não urgentes serão reduzidos pelas empresas

Escrito por
Lucas Albarado
November 30, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

Após 14 dias do anúncio do governador Wilson Lima sobre a contratação de 1.721 profissionais de enfermagem, empresas de saúde que prestam serviços ao Estado, cobram as autoridades para receberem os pagamentos atrasados dos anos de 2021 e 2022. 

Um documento, assinado por 15 grupos de saúde, afirma que devido à falta de compromisso com os valores, serviços não urgentes serão reduzidos temporariamente.

O documento foi direcionado ao secretário estadual de Saúde, Anoar Abdul Samad, ao diretor-presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas, Jorge Akel Thomaz de Lima, e para Flávio Cordeiro Antony Filho, atual secretário chefe da Casa Civil. 

O Diário da Capital recebeu informações de que trabalhadores da saúde ficaram três meses sem receber o salário. Em um trecho do arquivo, as empresas ressaltam a importância da liquidação dos valores.

“Em conjunto com este pleito urgente na regularização dos pagamentos, resgatando assim a dignidade profissional dos médicos que prestam serviços há meses sem contrapartida financeira”, diz o ofício.

Outra grande demanda das 15 empresas é a melhoria nas condições estruturais das unidades de saúde do Estado, que passam por superlotação de pacientes e graves desabastecimentos, o que afeta a qualidade dos serviços prestados à sociedade. 

Nós entramos em contato com o Governo do Estado, para sanar dúvidas sobre a redução de serviços e pagamentos, mas até o fechamento desta matéria não recebemos resposta.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas