Matérias
Economia

Resultado sólido da Petrobras gera preocupações sobre dividendos

Investidores temem uma redução nos pagamentos devido a maiores investimentos e despesas em segmentos com menor retorno

Escrito por
Thiago Freire
November 13, 2023
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

O recente balanço da Petrobras, divulgado nesta quinta-feira (9), apesar de destacar outro trimestre de resultados operacionais fortes, levanta preocupações no mercado financeiro sobre o futuro da empresa. A nova abordagem da gestão, focada no desempenho operacional, acende uma luz amarela sobre os números financeiros, refletindo-se na queda de quase 0,4% das ações preferenciais (PN) da estatal.

Embora a dívida líquida da Petrobras tenha apresentado uma redução de 7,9%, totalizando US$ 43,7 bilhões ao final de setembro, o foco está na possibilidade de a empresa deixar de pagar dividendos substanciais. A companhia já havia indicado essa tendência ao realizar o maior corte global de remuneração aos acionistas no segundo trimestre.

Apesar de sinais de uma mudança nesse cenário, com a Petrobras elevando os dividendos a serem pagos em 2024 referentes ao terceiro trimestre deste ano, o mercado permanece cauteloso. A XP Investimentos observa que, apesar de mais um trimestre sólido, a empresa está colocando o dedo no gatilho, potencialmente impactando negativamente o cenário futuro.

A preocupação é impulsionada por fatores políticos, especialmente mudanças na política de preços de combustíveis e alterações no estatuto da empresa em relação ao pagamento de dividendos, que evocam episódios passados de interferência governamental na Petrobras. A aparente disposição da empresa em aumentar investimentos em áreas sem vantagens comparativas também contribui para uma avaliação neutra.

Apesar da solidez nas demonstrações contábeis, com recordes nas áreas de exploração e produção, refino e processamento de gás no terceiro trimestre, os analistas destacam quedas nos volumes de vendas de gasolina e GLP, resultando em mais de 40% de redução no lucro líquido e cerca de 30% de queda na receita e no Ebitda em comparação anual.

O novo plano de negócios, previsto para ser lançado até o final de novembro, é o foco dos investidores, já que pode representar um significativo aumento nos investimentos. O mercado está atento a possíveis fusões, aquisições e a alocação de recursos para áreas com menor retorno. A incerteza em torno desse plano alimenta o debate entre dividendos e investimentos, com alguns analistas acreditando na capacidade contínua da Petrobras de gerar mais dinheiro do que investe, enquanto outros temem uma intensa perda de valor devido a riscos diversos. O cabo-de-guerra entre dividendos e investimentos continua, e o desempenho futuro da Petrobras permanece uma incógnita.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas