Matérias
Ciência e Tecnologia

Mark Zuckerberg deve receber dividendos anuais de R$ 3,5 bilhões

A divulgação ocorreu após a empresa superar as expectativas de Wall Street com receitas de $40 bilhões (quase R$ 200 bilhões)

Escrito por
Redação
February 02, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

Mark Zuckerberg, o CEO do Meta, empresa-mãe do Facebook, Instagram e WhatsApp, está previsto para receber $700 milhões (aproximadamente R$ 3,5 bilhões) por ano em dividendos. De acordo com o anúncio, a Meta pagará seu primeiro dividendo trimestral aos investidores, desde que o Facebook abriu capital no mercado de ações em 2012. 

A divulgação ocorreu após a empresa superar as expectativas de Wall Street com receitas de $40 bilhões (quase R$ 200 bilhões) no último trimestre do ano passado.

Apesar da Meta ter reduzido o total de funcionários em 22%, chegando a aproximadamente 19.000, e lançado um programa de recompra de ações no valor de $50 bilhões (aproximadamente R$ 250 bilhões), a empresa anunciou um aumento trimestral dos lucros para $14 bilhões (cerca de R$ 70 bilhões), impulsionado pela recuperação nas vendas de publicidade.

Zuckerberg também anunciou que a Meta, que completa 20 anos neste mês, pagará seu primeiro dividendo como empresa pública, no valor de 50 centavos por ação. A Meta afirmou que os $1,25 bilhão (mais de R$ 6 bilhões) destinados aos investidores serão os primeiros de pagamentos regulares.

Considerando que Zuckerberg detém cerca de 350 milhões de ações, se a Meta mantiver aproximadamente o mesmo nível de pagamentos de dividendos a cada trimestre, ele poderá receber cerca de $700 milhões (R$ 3,5 bilhões)  ao longo do primeiro ano dessa política.

No ano de 2022, o executivo de 39 anos recebeu um total de $27 milhões em compensação, conforme os dados mais recentes de remuneração disponíveis.

A Meta enfrentou críticas em uma audiência no Comitê Judiciário do Senado dos EUA na quarta-feira, durante a qual Zuckerberg e outros executivos de tecnologia foram interrogados sobre o impacto de suas plataformas em usuários jovens. O CEO expressou condolências aos pais cujos filhos faleceram após exploração online.

Durante a audiência, membros do Congresso defenderam legislação que poderia retirar a imunidade legal da Meta e de outras plataformas para o conteúdo postado em suas redes. Isso ocorre meses após a Meta ser alvo de uma grande ação judicial movida pelos procuradores-gerais de 41 estados por seu impacto nos usuários jovens. O procurador-geral do Novo México também processou a empresa, alegando falha em evitar exploração sexual infantil e tráfico.

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas