Matérias
Meio Ambiente

Desmatamento em áreas protegidas da Amazônia cai 73% em 2023

A devastação em terras indígenas e unidades de conservação totalizou 386 km² no último ano, marcando o menor índice desde 2013

Escrito por
Thiago Freire
January 23, 2024
Leia em
X
min
Compartilhe essa matéria

O desmatamento em áreas protegidas da Amazônia apresentou uma queda expressiva de 73% em 2023, conforme dados divulgados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). A devastação em terras indígenas e unidades de conservação totalizou 386 km² no último ano, marcando o menor índice desde 2013, quando foram desmatados 178 km².

Em comparação, o ano de 2022 registrou um total de 1.431 km² de desmatamento em áreas protegidas da região amazônica, aproximando-se dos números observados desde 2019, quando foi identificado um aumento que persistiu até o ano passado.

O monitoramento do Imazon utiliza imagens de satélite para avaliar o desmatamento na Amazônia. A redução observada em 2023 nas áreas protegidas superou a queda geral no desmatamento, que foi de 62% entre 2022 (10.573 km²) e 2023 (4.030 km²).

Apesar da diminuição geral, o Imazon destaca um ponto de preocupação relacionado à degradação observada em 2023, possivelmente vinculada à seca e às queimadas na região. No último mês do ano, enquanto 108 km² foram desmatados, outros 1.050 km² foram degradados, quase dez vezes mais.

Carlos Souza, coordenador do Programa de Monitoramento da Amazônia do Imazon, ressalta que, apesar da queda geral, algumas áreas protegidas apresentaram aumento na destruição, demandando ações urgentes em 2024.

TERRAS INDÍGENAS

O levantamento destaca situações críticas em terras indígenas, como na Igarapé Lage, em Rondônia, onde o desmatamento cresceu 300%, passando de 2 km² em 2022 para 8 km² em 2023. Outras duas terras indígenas, Waimiri Atroari e Yanomami, na divisa do Amazonas com Roraima, também apresentaram aumentos expressivos na derrubada.

Apesar da redução, a terra Yanomami foi a quinta mais desmatada da Amazônia em 2023, após ter recebido uma operação humanitária em janeiro devido à invasão de garimpeiros. A Waimiri Atroari ficou em nono lugar. A maior área desmatada em território indígena em 2023 foi registrada na terra Apyterewa, que, apesar de liderar o ranking, teve uma redução de 85% na devastação.

O total de terras indígenas desmatadas em 2023 foi de 104 km², menos da metade do registrado em 2022 (217 km²).

No items found.
Matérias relacionadas
Matérias relacionadas